EDP Running Wonders – Meia Maratona do Douro Vinhateiro

Ora aqui está um dois em um: logbook da semana e race recap! Quando andamos entrevados é assim… vale a minha irmã, que anda a comer quilómetros como se fossem tremoços, para salvar a honra da família!

Este fim-de-semana fizemos quase 1000km em direcção ao Norte para participarmos na prova do Douro da EDP Running Wonders. Antes de mais, devo dizer que gosto muito deste formato que associa o turismo de património à corrida! A meu ver, o casamento perfeito! Achei o Peso da Régua lindo e não o saberia tão cedo não fosse pela corrida. Acho que só por isso estas provas já têm o mérito e interesse redobrados.

Quanto à prova propriamente dita… não é daquelas que vou já marcar na agenda do próximo ano. Acho que o maior problema é mesmo a diferença de proporção entre o número de inscritos na prova e as estruturas da cidade e da organização. Um acréscimo de 13 mil pessoas numa cidade como o Peso da Régua faz muita diferença e isso percebe-se logo na véspera, quando se vai levantar o dorsal e o trânsito pára. Valem as gentes do Norte que tornam tudo muito mais acolhedor e fazem os impossíveis para que falte nada a quem vem de fora. Apesar disso, os problemas maiores, para mim, ainda foram os do dia da prova. Depois de consultarmos o folheto informativo, percebemos que poderíamos estacionar perto da estação de onde partiria o comboio ou os autocarros (consoante o escolhido no momento da inscrição) que nos levaria até à partida e que o devíamos fazer 30 minutos antes da partida do nosso meio de transporte. Por acaso, escolhemos um dos primeiros autocarros, mas quando chegámos, ainda antes das 8h, já o trânsito estava fechado. De facto, no mesmo folheto que nos permitia inferir que podíamos estacionar, no limite até às 9h00, dependendo do horário escolhido, também dizia que o trânsito estava fechado a partir das 7h30, mas achámos que o corte não afectaria o local de estacionamento. Estávamos enganados. Como chegámos cedo, conseguimos encontrar um lugar, ainda que meio refundido. Apanhámos o autocarro e fomos levados até perto do local de onde sairia a Mini-Maratona (a saúde ainda me anda a pregar partidas e resolvi não arriscar a Meia apesar de estar inscrita) e nessa zona, onde chegaram a estar alguns milhares de pessoas, havia, pelas minhas contas 6 a 9 casas de banho portáteis. Foi também frequente encontrar atletas da Meia-Maratona perdidos entre o mar de gente que estava a fazer a Mini porque não perceberam que teriam de fazer a entrada por um corredor lateral. A uma meia hora da partida houve alguém que se sentiu mal e foi precisa uma ambulância, que teve de romper pelo meio de não sei quantas mil pessoas que se iam empurrando contra os muros da barragem. Para além dessas questões ainda há a do horário da prova: 10h30 em pleno Maio! O dia não estava particularmente quente, mas noutros anos deve ter sido um desafio conseguir fazer a prova com temperaturas de 20 e muitos ou 30 graus. Eu percebo que a prova é transmitida na televisão e que há a que ter em conta as audiências, mas ainda assim, parece-me que não será a estratégia mais interessante. O percurso da prova é bonito, mas os espectadores só assistem mesmo à recta final (os dois últimos quilómetros). O que vale é que apoio e incentivo que dão vale por muito! Tendo em conta a minha experiência, parece-me que neste caso há alguns problemas a resolver (13000 pessoas ficam muito bem vistas do helicóptero porque não se ouvem as reclamações). Ainda assim, valeu pelo fim de semana em família, por mais meia dúzia de quilómetros, e por mais um cantinho bem bonito visto de corrida!

EDP running wonders douro