Fins de ciclo

Vamos lá dizer o óbvio: isto está paradito! Já se sabe que quando a vida real anda a mil o mundo virtual é que paga e foi isso mesmo que sucedeu! Por coincidência ou não, este ano tem sido de grandes transformações para as duas metades do RITF: entre terminar relações profissionais, começar novos projectos, investir na saúde e dar tempo à família, aconteceu de tudo e ainda bem! Não ficou nada para trás, mas foi preciso ajustar o passo. Afinal a corrida é mesmo uma metáfora para a vida.

Os objectivos da M. continuam firmes e a preparação para a Maratona está a dar frutos. As corridas longas começam agora a aproximar-se da distância final e em Outubro lá a teremos a passar a meta ao fim de 42 quilómetros, abaixo das 04h30 (no pressure!).

Eu cá continuo a ver se finto o que quer que seja que me está a baralhar os planos. Depois de ultrapassar os efeitos secundários das toneladas de medicação que estava a tomar as novas análises vieram mostrar que tenho anemia. Ora, corrida, calor e anemia não combinam por isso, parei os treinos, comecei a tomar um suplemento vitamínico e de ferro e estreei-me no Yoga (isso são outros quinhentos). Conclusão: a maratona não será para este ano, mas isso não me impede de ir acompanhando a M. E começámos já hoje com 5k só para tirar o pó às articulações e lembrar a AR que agora tem que ter calminha. Daqui por uns dias vamos aumentar a carga porque as corridas longas vão começar a apertar. Vou pôr a minha lentidão a uso e servir de pacemaker para os 20k e 25k (ainda que em versão estafeta, caso contrário dá-me a sulipampa)!

Vá, continuem por aí que isto vai ficar mesmo bom!